logo © 2011 aab arquitectura lda

CONCURSOS > PROJECTO PARA ESCOLA C+S DA QUINTA DO PERÚ

 

localização: Sesimbra

data de projecto: 2010

fase: estudo prévio

área de construção: 14.317 m²

 

Como ponto de partida consideramos fundamental respeitar as seguintes ideias base.
Em primeiro lugar, tomar como suporte a malha ortogonal que serve de referência ao loteamento. Em segundo, privilegiar a orientação a sul de uma quantidade significativa de espaços previstos no programa, designadamente as 39 salas de aula. Em terceiro, garantir a independência funcional da Escola da Área Desportiva. Por último, caracterizar de modo distinto as várias entradas no recinto, intencionalmente servidas pela via de menor tráfego automóvel referida atrás como “Via de Acesso”.

Procurou-se agrupar o programa em vários corpos de dois pisos, que se desenvolvem a três cotas diferentes evitando uma ocupação maciça do terreno disponível. Cada um deles constitui uma entidade individual com as suas características próprias, traduzida exteriormente e reveladora da sua função interna.
No entanto, ao estabelecerem relações uns com os outros, atenuam-se as diferenças, aproximando-se as linguagens, com vista a uma unidade de conjunto.

Um percurso, orientado no sentido norte/sul e implantado a nascente do arruamento principal que lhe serve de acesso, estabelece a ligação entre os diversos espaços que constituem a Escola Secundária de Quinta do Perú, resolvendo, desse modo, o espaço “learning street”.
Este espaço central, usufrui de duplo pé-direito e separa a zona das aulas propriamente dita das áreas afectas à administração, direcção, pais e encarregados de educação, docentes e funcionários e resolve no seu extremo sul o acesso à área desportiva. Funcionando como espaço social de uso colectivo, de estar e de circulação, serve de apoio às actividades extracurriculares.
Com a sua localização e desenvolvimento pretende-se promover não apenas o bem estar dos utentes mas as actividades exploratórias, experimentais e colaborativas da população escolar.

Os acessos aos diferentes níveis faz-se por escadas que pelas suas dimensões se caracterizam também por zonas de estar e de reunião.

Os núcleos de recepção, gestão/administração e atendimento geral organizam-se num local central, a meio do referido percurso. Desenvolvendo-se em dois pisos estabelecendo uma relação visual entre ambos relacionam-se com o espaço de distribuição principal.
Uma escada e um ascensor, estrategicamente localizados, a par das instalações sanitárias, simplificam as infra-estruturas necessárias.
A zona de entrada recebe nas proximidades, para além dos espaços acima referenciados, os núcleos de direcção e de docentes.

A biblioteca organiza-se em frente da entrada principal, numa área central, física e simbolicamente, relativamente ao conjunto. No “coração” da escola, acessível também para a comunidade em geral e sensivelmente a meio do espaço informal “learning street”, usufrui de um dos pátios exteriores que está delimitado por dois dos corpos que recebem as salas de aula.
Como local de excepção teve um tratamento formal diferenciado, fugindo à ortogonalidade dominante, destacando-se e revelando a sua função interna. Interiormente, o espaço é fluído em “openspace” sendo as várias áreas funcionais como o acolhimento, a leitura informal, a sala polivalente, as zonas multimédia e de consulta definidas por elementos amovíveis como estantes e biombos.
A transparência pretendida é controlada interiormente de forma a filtrar a luz directa exterior quer através de clarabóias que dos “brise soleil” propostos. As janelas abrem-se a norte garantindo assim o controle da luminosidade e da climatização.

Conc0
Conc1
Conc2
Conc3
Conc4
Conc5
Conc6
Conc7
Conc8
Conc9
Conc10
Conc11
Conc12